X
X

Receba "Diga sim para Você mesmo" gratuitamente.

Digite seu nome e e-mail para participar do sorteio de 100 livros autografados por Gutemberg Dos Santo.

Espero que você tenha obtido o que estava procurando quando me pediu para encontrar semelhanças entre os livros de fórmulas para o sucesso. Se você está por fora, há alguns días eu comecei essa série de reflexões e o primeiro livro foi "O Segredo" por Rhonda Byrne. Agora, depois de meditar um pouco, decidi falar sobre "Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes", um trabalho apresentado pelo Dr. Stephen R. Covey.

Essa série de hábitos está relacionada ao meu cotidiano, embora nem sempre tive consciência de que os colocava em prática. Surpreende-me muito que, ao tomar consciência de suas ações, você possa começar a escrever sua própria receita, o que o leva a obter resultados. Com o tempo, estou mais convencido de que somos uma mistura de ações que determinam nosso presente.

No início de minha jornada como empreendedor, eu estava constantemente fazendo brainstormings e, a partir de minhas ideias, havia projetos que eu queria começar imediatamente. Mas no decorrer da estrada, eu descartava um por um, até não executar nenhum deles. Por que não podia começar ao menos uma ideia? Poderia tenha sido porque eu não tinha planejamento adequado, ou simplesmente não estava convencido do que realmente queria. Mas a verdadeira razão era simplesmente o medo do fracasso e a pouca credibilidade que eu tinha em mim mesmo.

O que eu não tinha em mente naquele momento, é que deve estar sempre claro que aprendemos através dos nossos próprios erros. Se eu quero crescer, devo ousar agir sem medo de estar errado. Vale a pena mencionar o que Confúcio afirmou: "nossa maior glória não é nunca cair, mas levantar-se toda vez que caímos". Ninguém nasce sabendo e adquirimos conhecimento a partir de nossas próprias experiências. Cada indivíduo cresce com preconceitos e costumes que definem seu modo de agir, mas isso não define seus limites.

Quando me interessei em ler o livro do Dr. Stephen R. Covey, foi precisamente por precisar de um guia que me encorajasse a adquirir habilidades para melhor estruturar minhas ideias e, assim, conseguir executá-las. Covey menciona em seu trabalho, "os 7 hábitos de pessoas altamente eficazes", que os hábitos são "a interseção entre conhecimento, capacidade e desejo".

Cada pessoa reage de maneira diferente a cada situação. Um exemplo disso são as pessoas reativas. Esse tipo de indivíduos, quando em circunstâncias conflitantes, tendem a agir de maneira negativa e não fazem nada para tentar mudar seu contexto. O outro tipo são os indivíduos que numa situação difícil tentam tirar o melhor proveito, sem cair em frustração e ao invés disso detectar soluções alternativas; essas pessoas são caracterizadas por serem proativas.

Desde que me propus ter uma atitude mais proativa, comecei a executar, com maior facilidade, ações efetivas que me ajudaram a ser uma pessoa mais segura e independente. Esclareço que a independência é apenas uma fase da minha vida na qual, à medida em que adquiro experiências, posso amadurecer e crescer até me tornar consciente de que toda a natureza é interdependente, como o livro propõe. A interdependência nada mais é do que a conexão que mantenho com os outros, sempre buscando o bem-estar geral; porém, devo encontrar algo em comum com a outra pessoa para que seja capaz de estabelecer um relacionamento afetivo e efetivo.

O segundo hábito mencionado no livro, que eu considero ser o motor que move meus pensamentos, é "ter um fim em mente". O que realmente traz sentido à minha vida é o fim que tenho em mente. Se não sei claramente qual é esse fim, posso facilmente perder a direção e o controle da minha vida.

Para manter essa atitude, preciso de outro hábito: a disciplina para priorizar o que é realmente importante. O que não é importante apenas me afasta de meus objetivos. O que faço todos os dias quando me levanto é ativar meu domínio espiritual, como aconselha o Dr. Covey, ou seja, ser claro sobre o que farei. Desta forma eu acordo e ativo a inteligência motivacional; nada e ninguém deve interferir negativamente no escopo dos meus objetivos. Eu tenho a capacidade de controlar e modificar minhas situações a fim de manter o meu curso para o sucesso, assumindo totalmente a minha liberdade e responsabilidade, para ser capaz de alcançá-lo sem afetar os outros.

O Ganha x Ganha é outro hábito que me inspira. Não me considero indivíduo autossuficiente e autônomo, sou parte de um todo. Isto é, reconheço a existência dos outros. Eu tenho que estar atento e detectar pessoas que eu posso envolver no meu projeto para fortalecê-lo. Fazer alianças frutíferas para ter um resultado positivo que seja Ganha x Ganha. Eu não posso ir por aí acreditando que para cada vencedor, sempre tem que ter um perdedor. Uma das recomendações do livro é que devemos pensar que a abundância existe em toda parte, devemos gerar um ambiente cooperativo e não competitivo.

Eu devo estar atento a tudo e a todos. Ouvir é uma qualidade que sempre possuí e que o Dr. Covey considera ser um hábito fundamental para saber como estabelecer relações interpessoais. "Primeiro, busque compreensão, depois seja compreendido". Com esta frase desenvolvi uma comunicação mais efetiva. Um ponto importante nos projetos que empreendi foi saber ouvir os outros. Não se trata apenas de prestar atenção ao que dizem, nem de responder ao que estão dizendo. Preciso sintonizar meu cérebro para ouvir com a firme convicção de que não somos todos iguais e nem todos pensamos da mesma forma. Não posso colocar as minhas ideias e minhas experiências antes porque elas nem sempre são aplicáveis aos outros.

"Unidade ou identidade implica complementaridade, não igualdade. A igualdade não é criativa ... e é entediante. A essência da sinergia é valorizar as diferenças."

Essas diferenças e variedade de pensamentos fortaleceram meu desenvolvimento pessoal, ajudaram-me a me reinventar e a trabalhar em equipe para criar coisas fascinantes.

Devo admitir que me encontrei em situações que me levaram ao limite por não aceitar, naquele momento, que não possuía as habilidades para resolver o problema. Quando isso acontecer, devo reconhecer com humildade e responsabilidade que é hora procurar a pessoa certa, com as habilidades necessárias. Isso me dá mais segurança e, acima de tudo, me faz reconhecer os pontos fortes de outros para estabelecer sinergia. Sinergia é o sexto hábito proposto por Covey, definido como "o resultado do cultivo da capacidade e atitude de valorizar a diversidade".

Finalmente, aprendi o sétimo hábito: "afinar o instrumento". Quando consegui chegar no topo, me senti satisfeito e glorioso, mas depois, esse sentimento me levou a repensar o próximo passo. Antes de toma-lo, devo parar para meditar como estou, fisicamente, mentalmente e espiritualmente. Garanto que tenho uma condição saudável, reconheço meu alcance e minhas limitações, agradeço pela coexistência e sinergia que construí de mãos dadas com minha equipe de trabalho; e reconheço que, graças a isso, consegui alcançar meu objetivo.

O tempo me prepara para continuar construindo objetivos mais claros, para definir projetos que eu possa empreender com segurança. Assumo a responsabilidade que tenho de sempre ir em busca do bem comum, contribuindo com novos líderes que têm os mesmos desejos e forças que me ajudaram a atingir meus objetivos. Isso descreve e traz significado ao termo "afinar o instrumento" como referido pelo autor. Devo parar por um momento para respirar e repensar estratégias melhores para que minhas ações sejam mais eficazes e inovadoras.

Está claro para mim que as minhas experiências diárias e minha coexistência com os outros me levam a adquirir mais conhecimento e fortalecer minhas habilidades. Eu posso definir minhas ideias, identificar as ferramentas que tenho, determinar meu campo de ação; eu sei reconhecer as minhas habilidades e as dos próximos. Isso me leva a andar com confiança e segurança por qualquer caminho que eu siga para alcançar meus objetivos. É assim que minhas ideias não ficam no imaginário, porque sou capaz de materializá-las e executá-las.

Gutemberg Dos Santos

Etiquetas